quinta-feira, 28 de abril de 2011

Gritando calada


Quando você está num lugar onde não conhece ninguem e não se tem absolutamente nada para fazer...é difícil não se entregar ao tédio e a ansiedade.
E por mais que digam que isso passa...e falem "frazes de efeito".
Ninguém sabe e entende o que se passa aqui
 dentro.



---------------





E é sempre a mesma mágoa, o mesmo tédio,
A mesma angústia funda, sem remédio,
Andando atrás de mim, sem me largar!


Florbela Espanca




quarta-feira, 27 de abril de 2011

segunda-feira, 25 de abril de 2011


É melhor ser alegre que ser triste


Alegria é a melhor coisa que existe

....É assim como a luz no coração!





Vinicios de Moraes

sábado, 23 de abril de 2011

Renovar-se


A vida se move em ciclos de fazer, desfazer e refazer... 

ação, reação, ação.


Cada dia que nasce é um momento de renovação


....de recomeço.


quarta-feira, 20 de abril de 2011



Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.




Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 19 de abril de 2011


A ansiedade instala-se na mente 
como ervas-daninhas que sufocam 
os grãos e estragam os jardins.


segunda-feira, 18 de abril de 2011

sábado, 16 de abril de 2011

Selinho


Ganhei esse mimo da Deh... muito lindo!!!

...E  ofereço esse mimo a todos meus seguidores, com muito carinho.

Bom fim de semana a todos.
Beijinhos!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Amor


O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição. Como são sábios aqueles que se entregam às loucuras do amor!


Joshua Cook



quarta-feira, 13 de abril de 2011

Traumas


Não importa se somos fortes, traumas sempre deixam uma cicatriz. Seguem-nos até nossas casas, mudam nossas vidas. 
Traumas derrubam a todos, mas talvez essa seja a razão. Toda a dor, o medo, as idiotices. Talvez viver isso é que nos faz seguir adiante, é o que nos impulsiona. Talvez precisamos cair um pouco para levantar novamente.
Vivenciamos e passamos por muitas situações que nos deixa com nó na garganta, que nos faz refletir sobre nossa existência, sobre o mundo. traumas causados por conflitos políticos, como na Líbia, catástrofes naturais, como no Japão e massacres, como o da escola no Rio. Traumas que mesmo que não tenha me atingido pessoalmente, mesmo que não tenha acontecido com pessoas próximas de mim... me deixa em triste, preocupada e me leva a questionar no que o mundo está se transformando. 
E me pergunto: 
onde isso vai parar? 
Se parar!



domingo, 10 de abril de 2011

Tempo de Começar!



Todo dia é um novo desafio a vencer. Desafios que, aos olhos de muitos, podem parecer tão simples e, para outros, tão complexos e insuperáveis.
Cada desafio nos ajuda a valorizar a nossa condição de humanos...
Aceitar que temos direito a errar, aprender e superar - sem deixar que a luta diária se torne uma prisão.
Dinheiro não é tudo na vida e nem tudo tem preço.
É preciso resgatar a família e, de verdade, dedicar o tempo de que precisam nossos filhos, irmãos, esposas, maridos, mães, pais, avós...
Resgatar a verdadeira amizade, essa que não morre nunca, porque não tem compromisso nem laços e surge livre e espontânea, sem pedir nem exigir nada.
Resgatar a confiança das pessoas.
Acreditar na palavra...
Cultivar e propagar a honestidade.
Exigir o que é justo, fazer valer os seus direitos e respeitar os direitos dos outros.
Nunca foi tão necessário voltar a acreditar...
E não é só falar:
É preciso assumir o compromisso pessoal de espalhar na sociedade um vírus e ver se, duma vez por todas, conseguimos uma mudança real. Sabemos que o tempo é curto. Então é tempo de começar.
Ana Maria Braga

É preciso começar. Por um mundo melhor!



terça-feira, 5 de abril de 2011

Amar



Procure me amar quando eu menos merecer, porque é quando eu mais preciso
Falamos à beça de amor. Apesar das nossas singularidades, temos pelo menos esse desejo em comum: queremos amar e ser amados. Amados, de preferência, com o requinte da incondicionalidade. Na celebração das nossas conquistas e na constatação dos nossos fracassos. No apogeu do nosso vigor e no tempo do nosso abatimento. No momento da nossa alegria e no alvorecer da nossa dor. Na prática das nossas virtudes e no embaraço das nossas falhas. Mas não é preciso viver muito para percebermos nos nossos gestos e nos alheios que não é assim que costuma acontecer.
Temos facilidade para amar o outro nos seus tempos de harmonia. Quando realiza. Quando progride. Quando sua vida está organizada e seu coração está contente. Quando não há inabilidade alguma na nossa relação. Quando ele não nos desconcerta. Quando não denuncia a nossa própria limitação. A nossa própria confusão. A nossa própria dor. Fácil amar o outro aparentemente pronto. Aparentemente inteiro. Aparentemente estável. Que quando sofre não faz ruído algum.
Fácil amar aqueles que parecem ter criado, ao longo da vida, um tipo de máscara que lhes permite ter a mesma cara quando o time ganha e quando o cachorro morre. Fácil amar quem não demonstra experimentar aqueles sentimentos que parecem politicamente incorretos nos outros, embora costumem ser justificáveis em nós. Fácil amar quando somos ouvidos mais do que nos permitimos ouvir. Fácil amar aqueles que vivem noites terríveis, mas na manhã seguinte se apresentam sem olheiras, a maquiagem perfeita, a barba atualizada.
É fácil amar o outro na mesa de bar, quando o papo é leve, o riso é farto, e o chope é gelado. Nos cafés, após o cinema, quando se pode filosofar sobre o enredo e as personagens com fluência, um bom cappuccino e pão de queijo quentinho. Nos corredores dos shoppings, quando se divide os novos sonhos de consumo, imediato ou futuro. É fácil amar o outro nas férias de verão, no churrasco de domingo, nos encontros erotizados, nas festas agendadas no calendário do de vez em quando.
Difícil é amar quando o outro desaba. Quando não acredita em mais nada. E entende tudo errado. E paralisa. E se vitimiza. E perde o charme. O prazo. A identidade. E fala o tempo todo do seu drama com a mesma mágoa. Difícil amar quando o outro fica cada vez mais diferente do que habitualmente ele se mostra ou mais parecido com alguém que não aceitamos que ele esteja. Difícil é permanecer ao seu lado quando parece que todos já foram embora. Quando as cortinas se abrem e ele não vê mais ninguém na plateia. Quando até a própria alma parece haver se retirado.
Difícil é amar quando já não encontramos motivos que justifiquem o nosso amor, acostumados que estamos a achar que o amor precisa estar sempre acompanhado de explicação. Difícil amar quando parece existir somente apesar de. Quando a dor do outro é tão intensa que a gente não sabe o que fazer para ajudar. Quando a sombra se revela e a noite se apresenta muito longa. Quando o frio é tão medonho que nem os prazeres mais legítimos oferecem algum calor. Quando ele parece ter desistido principalmente dele próprio.
Difícil é amar quando o outro nos inquieta. Quando os seus medos denunciam os nossos e põem em risco o propósito que muitas vezes alimentamos de não demonstrar fragilidade. Quando a exibição das suas dores expõe, de alguma forma, também as nossas, as conhecidas e as anônimas. Quando o seu pedido de ajuda, verbalizado ou não, exige que a gente saia do nosso egoísmo, do nosso sossego, da nossa rigidez, para caminhar ao seu encontro.
Difícil é amar quando o outro repete o filme incontáveis vezes e a gente não aguenta mais a trilha sonora. Quando se enreda nos vícios da forma mais grosseira e caminha pela vida como uma estrela doída que ignora o próprio brilho. Quando se tranca na própria tristeza com o aparente conforto de quem passa um feriadão à beira-mar. Quando sua autoestima chega a um nível tão lastimável que, com sutileza ou não, afasta as pessoas que acreditam nele. Quando parece que nós também estamos incluídos nesse grupo.
Difícil é amar quem não está se amando. Mas esse talvez seja o tempo em que o outro mais precise se sentir amado. Para entender, basta abrirmos os olhos para dentro e lembrar das fases em que, por mais que quiséssemos, também não conseguíamos nos amar. A empatia pode ser uma grande aliada do amor.
Texto de Ana Jácomo

sábado, 2 de abril de 2011

Milho de Pipoca


MILHO DE PIPOCA QUE NÃO PASSA PELO FOGO
CONTINUA A SER MILHO PARA SEMPRE.
ASSIM ACONTECE COM A GENTE.
AS GRANDES TRANSFORMAÇÕES ACONTECEM QUANDO PASSAMOS PELO FOGO.
QUEM NÃO PASSA PELO FOGO FICA DO MESMO JEITO A VIDA INTEIRA.
SÃO PESSOAS DE UMA MESMICE E UMA DUREZA ASSOMBROSA
SÓ QUE ELAS NÃO PERCEBEM E ACHAM QUE SEU JEITO DE SER É O MELHOR JEITO DE SER.

MAS, DE REPENTE, VEM O FOGO

O FOGO É QUANDO A VIDA NOS LANÇA NUMA SITUAÇÃO QUE NUNCA IMAGINAMOS: A DOR
PODE SER FOGO DE FORA: PERDER UM AMOR, PERDER UM FILHO, O PAI, A MÃE, PERDER O EMPREGO OU FICAR POBRE. 
PODE SER FOGO DE DENTROPÂNICO, MEDO, ANSIEDADE, DEPRESSÃO OU SOFRIMENTO, CUJAS CAUSAS IGNORAMOS.
HÁ SEMPRE O RECURSO REMÉDIO: APAGAR O FOGO!

SEM FOGO O SOFRIMENTO DIMINUI, COM ISSO, A POSSIBILIDADE DA GRANDE TRANSFORMAÇÃO TAMBÉM.
IMAGINO QUE A POBRE PIPOCA, FECHADA DENTRO DA PANELA, LÁ DENTRO CADA VEZ MAIS QUENTE PENSA QUE SUA HORA CHEGOU: VAI MORRER
DENTRO DE SUA CASCA DURA FECHADA EM SI MESMA, ELA NÃO PODE IMAGINAR UM DESTINO DIFERENTE PARA SI.

NÃO PODE IMAGINAR A TRANSFORMAÇÃO QUE ESTÁ SENDO PREPARADA PARA ELA.
A PIPOCA NÃO IMAGINA AQUILO QUE ELA É CAPAZ.

AÍ, SEM AVISO PRÉVIO, PELO PODER DO FOGO A GRANDE TRANSFORMAÇÃO ACONTECE: BUUUUUM!

E ELA APARECE COMO OUTRA COISA COMPLETAMENTE DIFERENTE, ALGO QUE ELA MESMA NUNCA HAVIA SONHADO.

BEM, MAS AINDA TEMOS O PIRUÁ, QUE É O MILHO DE PIPOCA QUE SE RECUSA A ESTOURAR.
SÃO COMO AQUELAS PESSOAS, POR MAIS QUE O FOGO ESQUENTE, SE RECUSAM A MUDAR.
ELAS ACHAM QUE NÃO PODE EXISTIR COISA MAIS MARAVILHOSA DO QUE O JEITO DELAS SEREM.
A PRESUNÇÃO E O MEDO SÃO A DURA CASCA DO MILHO QUE NÃO ESTOURA. NO E NTANTO, O DESTINO DELAS É TRISTE, JÁ QUE FICARÃO DURAS A VIDA INTEIRA.

DEUS É O FOGO QUE AMACIA NOSSO CORAÇÃO, TIRANDO O QUE NELE HÁ DE MELHOR.
ACREDITE QUE PARA EXTRAIRMOS O MELHOR DE DENTRO DE NÓS TEMOS QUE, PASSAR PELAS PROVAS DE DEUS.
TALVEZ HOJE AGENTE NÃO ENTENDA O MOTIVO DE ESTAR PASSANDO POR ALGUMA COISA.
MAS TENHO CERTEZA QUE QUANTO MAIS QUENTE O FOGO, MAIS RÁPIDO A PIPOCA ESTOURA..